sábado, 27 de agosto de 2011

História da Língua Inglesa - “Os Celtas”

 

História dos Celtas

image

A história da Inglaterra inicia-se com os celtas. Há indícios da presença humana nas ilhas britânicas antes da última era do gelo, quando as mesmas ainda não haviam se  separado do continente europeu e antes dos oceanos formarem o Canal da Mancha.

Os celtas integram uma das mais ricas civilizações do mundo antigo. As origens desta civilização remontam ao processo de desenvolvimento da Idade do Ferro, quando estes teriam sido os responsáveis pela introdução do manuseio do ferro e da metalurgia no continente europeu. De fato, o reconhecimento do povo celta pode se definir tanto pela partilha de uma cultura material específica, quanto pelo uso da língua céltica. 

Guerreiros celtas  Elmo anglo-saxão

Por volta de 1000 a.C., depois de muitas migrações, vários dialetos das línguas indo-européias tornam-se grupos de línguas distintas, sendo um desses grupos o CELTA.
Os celtas se originaram presumivelmente de populações que já habitavam a Europa. Durante cerca de 8 séculos, de 700 a.C. a 100 A.D., o povo celta habitou as regiões hoje conhecidas como Espanha, França, Alemanha e Inglaterra. Eles chegaram a ser o principal grupo de línguas na Europa.

Na época em que o Império Romano invadiu e conquistou a ilha da Grã-Bretanha, o povo celta era o povo que habitava esta região. Chegaram lá vindos de diversas regiões da Europa, entre os séculos II e III A.C.

Era um povo formado por indivíduos fortes e altos. Dedicavam-se muito à arte da guerra, embora também tenham desenvolvido muito o aspecto artístico, principalmente o artesanato. Conheciam técnicas agrícolas desenvolvidas para a época como, por exemplo, o arado com rodas. Fabricavam jóias, armaduras, espadas e outros tipos de armas, utilizando metais. Fabricavam carros de guerra desenvolvidos, que chegavam a provocar medo nos inimigos.

 

Possuíam uma religião politeístas, ou seja, acreditavam em vários deuses. Faziam seus rituais religiosos ao ar livre. No calendário celta havia diversas festas místicas. As cerimônias e os rituais ficavam sob responsabilidade dos druidas.

Os druidas foram membros de uma elevada estirpe de Celtas que ocupavam o lugar de juizes, doutores, sacerdotes, adivinhos, magos, feiticeiros, médicos, astrônomos, etc, mas que evidentemente não constituíam um grupo étnico dentro do mundo Celta. Eram grandes conhecedores da ciência e dos cristais, dominavam toda a área do conhecimento humano, cultivavam a música, a poesia e tinham controle do clima, do conhecimento sobre as ervas, podiam fazer ou parar de chover, controlavam os furacões, marés, tremores de terra etc. Tudo isto era procedido com o uso de cristais e em parte pela ação da mente, graças aos rituais realizados em lugares de força.

Preferiam cultuar a divindade em lugares como campo e florestas, usando vestes brancas em algumas cerimônias ligadas à fecundidade da Natureza, os participantes não usavam vestes.
A realização das cerimônias não se baseava somente com o lugar, também tinha a ver com a época do ano, com determinadas *efemérides, pelo que ocorriam em datas precisas, ocasiões em que interagiam mais facilmente com as forças da Natureza.

Eles reuniam em círculos de pedra visando a canalização da força *telúrica e siderais, conduzidas com grande solenidade. Suas principais cerimônias eram nas mesmas datas dos festivais celtas, mas os rituais são diferentes, visando o mesmo objetivo, como estabelecer um elo de ligação sagrado entre o homem e a natureza, invocando a *Deidade, como dito sem construções humanas somente em contato total com a natureza, intensificando o elo da Deusa Mãe e as pessoas.

As mulheres célticas gozavam de mais liberdades e direitos do que as de outras culturas contemporâneas, incluindo-se, até mesmo, o direito de participarem de batalhas e de solicitarem divórcio. Na cultura druídica, portanto, a mulher tinha um papel preponderante pois era vista como a imagem da Deusa.

No contexto religioso os druidas eram sacerdotes e sacerdotisas dedicados ao aspecto feminino da divindade, a Deusa Mãe. Embora cultuassem a Deusa Mãe mesmo assim admitiam que todos os aspectos expressos a respeito da Divindade eram ainda percepções imperfeitas do Divino. Assim, todos os deuses e deusas do mundo nada mais eram do que aspectos de um só Ser Supremo - qualquer que fosse a sua denominação visto sob a ótica humana.

Druídas - imagens

  Stonehenge



Ficheiro:Stonehenge-Green.jpg

 

 

 

Os belgas foram a última tribo de celtas que chegou na região da Britânia. Os belgas estabeleceram-se na área onde hoje é a Inglaterra. Foram habitar nas florestas e nas clareiras da região, ao contrário dos outros povos celtas que preferiram morar nas regiões montanhosas.

Os celtas sofreram várias invasões do Império Romano na Grã-Bretanha, até que a ilha britânica foi anexada ao Império Romano.

O latim então, começa a exercer influência na cultura celta-bretã. Três séculos e meio de presença das legiões romanas e seus mercadores, trouxeram profunda influência na estrutura econômica, política e social das tribos celtas que habitavam a Grã Bretanha. Palavras latinas naturalmente passaram a ser usadas para muitos dos novos conceitos.

Devido às dificuldades em Roma enfrentadas pelo Império, as legiões romanas se retiram da Grã-Bretanha, deixando os celtas à mercê de inimigos, os celtas então, recorrem às tribos germânicas para obter ajuda, mas essas tribos acabam aproveitando da situação e tornam-se invasores, estabelecendo-se nas áreas mais férteis do sudeste da Grã-Bretanha, destruindo vilas e massacrando a população local. Os celtas-bretões sobreviventes refugiam-se no oeste.

Prova dessa violência e do descaso dos invasores pela cultura local é o fato de que quase não ficaram traços da língua celta no inglês.

São os dialetos germânicos falados pelos anglos e pelos saxões que vão dar origem ao inglês
A palavra England, por exemplo, originou-se de Angle-land (terra dos anglos).

A partir daí, a história da língua inglesa é dividida em três períodos: Old English, Middle English e Modern English.

Significados

*efemérides - são as coordenadas que definem a posição de um astro. As efemérides constituem o elo entre as teorias sobre as quais são cosntituídas e as observações posteriores, o que permite provar a validade daquelas.

*telúrica - correntes telúricas são correntes elétricas naturais que ocorrem no interior da Terra. Usa-se também para os planetas próximos da Terra - planetas telúricos: Mercúrio, Vênus, Marte além da própria Terra. Habitualmente usa-se também o verbete telúrico para denotar planetas de maior densidade em relação a planetas gasosos.

*Deidade - conjunto de forças ou intenções que materializam a divindade.

(dicionarioinformal.com.br).

Sources and adaptation (Fontes e adaptações):

sk.com.br/sk-enhis.html

pt.wikipedia.org

historiadomundo.com.br

google imagens

users.hotlink.com.br/egito/druidas

cursosdemagia.com.br/druidas

2 comentários:

D Souza Lima disse...

Trecho bem comentado. Mas há alguns detalhes não informados.
Por exemplo, há resquícios de uma população anterior aos celtas, como os PICTOS e alguns grupos autóctones sobreviventes.
Cujas características físicas eram distintas do tipo celta.

LuadeSangue disse...

Muito bom, gostei, precisamos aprender sempre mais!

Postar um comentário